A palavra do Presidente

Reuniões com Oficiais da ativa

Estão sendo realizados rotineiramente encontros de confraternização dos componentes da Diretoria do clube com oficiais das Praça D’ Armas e os titulares das OMs  situadas próximas à Sede Social. Os eventos ocorrem no Salão Tijupá, localizado no 7º andar. Tais encontros têm como propósitos: estimular oficias a se tornarem sócios efetivos; proporcionar momentos de agradável convivência entre oficiais da ativa, da reserva ou reformados, em reuniões que ocorrem no Salão Tijupá; e oferecer uma visita guiada para divulgação de aspectos artísticos e culturais das instalações da Sede.                                                                         
Foram realizados almoços com oficiais da armada, fuzileiros navais, intendentes, e engenheiros das seguintes OM: 
 
a) 27 de fevereiro de 2018 - navios que se encontravam atracados no AMRJ: Fragata      “Independência”,  Submarino “Tupi”, NHoF “Alte. Graça Aranha”, e Submarino “Timbira”;
 
b) 11 de abril de 2018 - ComPesFN, ComMatFN, BtlNav e PM; 
 
c) 29 de maio - DAbM, DFM, DAdM; PAPEM e SVPM; e
 
d) 24 de julho - DIM, DEN, DSAM, AMRJ e CTMRJ.
 
Rui da Fonseca Elia
Vice-Almirante (Ref) – Presidente do Clube Naval.

Atuação da Brigada de Incêndio

Com muita satisfação faço consignar ao Corpo Social do Clube Naval a excelente impressão que me deixou a conduta profissional da Brigada de Incêndio da nossa Sede Social quando, na tarde do último 17 de agosto, irrompeu um princípio de incêndio na cozinha do Espaço Tijupá, no sétimo andar do prédio.
Estando na Sede, pude pessoalmente observar a pronta e eficaz resposta ao sinistro, que por certo impediu a perigosa propagação do fogo aos pavimentos inferiores. De forma especial, ressalto a proficiência da coordenação da faina pelo Encarregado do Assessor Administrativo e Financeiro, CMG (RM1-IM) Marcos Moura. Além disso, conforme relato pessoal do Diretor Social – CMG (Ref.) Spranger, merece também registro a valorosa conduta dos funcionários Mauro, Isaias e Willan.
No âmbito externo, destaco a pronta solicitação preventiva do Corpo de Bombeiros e a rápida chegada ao local dos carros e ambulância, que foi de muita valia para as providências de verificação final da extinção do sinistro.
Rui da Fonseca Elia
Vice-Almirante (Ref) – Presidente do Clube Naval.

Soberania

No dia 10 de setembro deste ano, por volta das 06h30 da manhã, assisti pela Globo News imagens que, desgraçadamente, já se tornaram rotina no Rio de Janeiro e há anos vêm se espalhando por todo o país. Na Cidade de Deus, ainda ardia um baile funk. “Soldados”do narcotráfico, fortemente armados com fuzis privativos das Forças Armadas, “policiavam”ostensivamente a mixórdia. Um Estado criminoso dentro do Estado Federal brasileiro. Somente um alienado completo não vê que o problema da segurança pública que assombra a nação já se transformou, de muito tempo, em perda da soberania do próprio Estado Federal. 
Já são 62 mil brasileiros assassinados neste ano, dentre eles 70 policiais combatendo em defesa da sociedade.
Uma permanente e inominável vergonha, uma perversa metástase do desmonte dos valores históricos e culturais da nacionalidade. 
Até quando, feito gado indo para o matadouro, o povo brasileiro tolerará tal degradação? 7 de outubro vem aí, é hora da virada.
 
Rui da Fonseca Elia
Vice-Almirante (Ref) – Presidente do Clube Naval.

Relação de painéis e palestras 2017/2018

Ao longo do últimos oito  meses, tem sido implementado mensalmente, na Sede Social,  um Programa de Palestras e Debates sobre temas  relevantes que têm despertado grande interesse por parte dos  associados . Tal programa está em consonância com o artigo 8º do Estatuto do Clube Naval que estabelece ser  uma das finalidades do Clube “promover o aprimoramento cultural e técnico-profissional dos sócios”. Além disso, tal atividade rotineira contribui para a consolidação de uma cultura de defesa nacional entre as pessoas não pertencentes ao Quadro Social convidadas para participar dos eventos. Segue-se uma relação dos painéis e palestras já realizados.

 

 Outubro de 2017.  “Construção de Navios-Patrulha para a Marinha do Brasil”,
Dr. Sérgio Bacci, representante do SINAVAL;
CAlte (EN) Liberal Enio Zanellato, Diretor do AMRJ; e
CMG (RM1) José Vanni Filho, representante da EMGEPRON.

Novembro de 2017. “Presença das Forças Armadas no Haiti”
General de Exército (Ref) José Elito Carvalho Siqueira
Alte Esq. Eduardo Monteiro Lopes; e
CAlte (FN) Renato Rangel Ferreira.

Março de 2018.  “A Crise Moral e Ética no Brasil”.
Professor Doutor Paulo Milani, Membro do Corpo Permanente da ESG; e
CMG (Ref-FN) Ribeiro, Instrutor de Liderança e Moral e Ética da Escola Naval

Abril de 2018. “Garantia da Lei e da Ordem: Aspectos Jurídicos e Militares”.
VAlte (Ref) Rui da Fonseca Elia, Presidente do Clube Naval; e
CAlte (FN) Carlos Chagas, Comandante do CIASC

Maio de 2018. “Educação Financeira”.
CMG (Refº - IM) Luiz Paulo Guimarães

Junho de  2018. “Programa de Desenvolvimento de Submarinos” e “Programa Nuclear da Marinha”.
Alte. Esq. Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior -  Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha.

Julho de 2018.  Painel “Porta-Helicópteros Multipropósito Atlântico, o Novo Capitânea da Esquadra”
C Alte  Alexandre Rabello de Faria – Comandante da Força de Superfície; e
C Alte  Denilson Medeiros Nôga – Comandante da Força Aeronaval.

Agosto de 2018. Palestra “A Problemática Amazônica”
General de Exército (Ref) General de Exército (Ref) Luiz Gonzaga Schroeder Lessa. Ex-Presidente do Clube Militar e ex-Comandante Militar da  Amazônia.

Há 13 anos ... (matéria publicada no JB no dia 02 de outubro de 2005)

Publicada no JB - dia 02 de outubro de 2005.
Na Segunda Guerra Mundial, enquanto as democracias amedrontadas propunham o desarmamento, o apaziguamento e os acordos desonrosos, mais prosperavam a arrogância e a violência de Hitler. Quando perceberam que precisavam usar o legítimo direito da força, o mundo mergulhou nos horrores da guerra. A política de leniência, contemporização e passividade em face da crescente violência urbana, ora adotada pelo governo federal, vai por igual caminho. Em vez do uso das medidas para a defesa do Estado democrático, que se encontram especificadas na Constituição, nossos dirigentes preferem, por absoluta falta de determinação política, iludir o povo e propor o desarmamento dos homens de bem e deixando os criminosos cada vez mais bem armados.
Rui da Fonseca Elia
Vice-Almirante (Ref) – Presidente do Clube Naval.

Páginas