Resumo da Ata da 23ª Sessão Ordinária - 16/04/2019

Em conformidade com o inciso VI do artigo 69, Capítulo III, do Estatuto do Clube Naval e à vista das análises apresentadas pelos Conselheiros Relatores, este Conselho Fiscal é de parecer favorável à aprovação, por unanimidade, das Contas referentes ao mês de MARÇO de 2019 da SEDE, da CHI, do PACN, do DECN, do DNCN e da CABENA. Registra-se que os Relatores consignaram suas observações na alínea Golf - Considerações Gerais - de todos os Órgãos ou Departamentos da sua esfera de análise.
Consigna-se que dois entes administrativos apresentaram déficit mensal, a CABENA e o PACN. A CABENA em que pese o déficit no mês o saldo acumulado no exercício apresenta um superávit, indicando não haver problema na execução orçamentária do Ente Administrativo. O PACN, a semelhança dos meses anteriores, vem apresentando déficit mensais constantes e por esta razão também está deficitário no acumulado no exercício. A situação, como mencionado nas Atas anteriores, indica uma análise na execução orçamentária. O Relator, nas considerações gerais das Atas, vem apresentando as possíveis causas da situação deficitária do Ente Administrativo. A CHI apresentou, mais uma vez, equilíbrio em seu resultado. O Relator da Carteira Hipotecária vem registrando a incapacidade da CHI em gerar receitas operacionais para cobrir as despesas mensais da Carteira. O DNCN, à semelhança do mês anterior, reverteu a tendência deficitária que vinha acontecendo em períodos anteriores, entretanto, persiste o desbalanceamento entre receitas e despesas na Sede Náutica, que no entendimento do CF, só será resolvido com a adequação de um acréscimo de receita perene, seja por ingresso de novos sócios seja por outras receitas permanentes advinda de um Ente administrativo do próprio CN. Verifica-se um esforço da Administração do Charitas em divulgar suas atividades e as modernizações nas suas instalações como forma de buscar o ingresso de novas receitas na busca do equilíbrio orçamentário desejável. Consigna-se que o DECN, o DNCN e a SEDE encontram-se com a sua posição SUPERAVITÁRIA no mês e no período. 
Consigna-se, mais uma vez, que é mandatório que todos os Entes Administrativos do Clube Naval com autonomia administrativa e financeira cumpram o orçamento aprovado pelo Conselho Diretor, em especial os limites referentes a DESPESAS. Ressalta-se, também, que a execução orçamentária deve obedecer a moldura temporal, aprovada no estatuto do Clube,  de JUNHO do ano B a MAIO do ano B+1. O CF sugere aos Executivos dos Entes Administrativos observarem rigorosamente os limites orçamentários aprovados e façam os ajustes necessários para o cumprimento desses limites, em especial os afetos as DESPESAS, observando as datas das SOD para referendar ou aprovar os ALTORÇ de ajustes.  
Em face da relevância das análises referentes aos Órgãos e Departamentos do Clube Naval que gozam de autonomia administrativa e financeira, o Presidente do Conselho Fiscal não submeteu ao plenário outros assuntos, agradecendo a presença de todos e nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião.