Mensagem do Presidente Alte Monteiro Lopes

 
  Após dois anos exercendo o honroso cargo de Presidente do Clube Naval, preparo-me para transmitir minhas funções e aproveito o Boletim de junho de 2021 para apresentar minhas despedidas ao Quadro Social. Na verdade foram dois anos atípicos e bastante complicados, período em que tive que tomar decisões muito difíceis, algumas até um pouco antipáticas.
 
  Primeiro obstáculo a ser vencido foi a troca de elevadores da Sede Social. Felizmente, iniciamos os trabalhos de preparação, com o projeto básico, com as indispensáveis licenças dos órgãos do Patrimônio Histórico e com a reserva de recursos necessários já providenciados pela Diretoria que nos antecedeu: cabia-nos “apenas” executar a obra. Entretanto, esse tipo de obra, realizada em um prédio muito antigo como o nosso, acaba por trazer uma série de surpresas, que tem que ser vencidas respeitando-se os limites impostos pelo tombamento histórico. Por causa dessas surpresas, a obra estendeu-se além do previsto. Ao fim, conseguimos completar toda a obra e ainda levamos os novos elevadores panorâmicos até o sétimo andar que, aliás, foi completamente modernizado.
 
  Terminada a obra dos elevadores, entramos na triste fase da pandemia, que ainda não acabou. Apoiado pela Diretoria, tomei a decisão de observar a nossa responsabilidade social, preservando empregos e salários dos nossos funcionários, importante colaboração do Clube à sociedade. Essa postura somente foi possível com o apoio obtido do Quadro Social: sócios civis e militares, na sua quase totalidade, continuaram a pagar suas mensalidades mesmo durante o período em que o Clube permaneceu fechado. A robusta situação financeira herdada pela atual Administração, fruto do trabalho de antigas Diretorias, foi outro importante fator que nos faz atravessar esse triste período de forma tranquila, pelo menos na parte financeira.
 
   É claro que a pandemia reduziu bastante a frequência às nossas três Sedes. Resolvemos, então, aproveitar essa redução e fizemos, em curto espaço de tempo, uma série de obras de manutenção e melhorias que seriam muito difíceis de serem executadas nas condições normais de frequência ao Clube. Assim, na Sede Social, construímos no andar térreo um refeitório e um alojamento para os nossos funcionários; a nossa restauradora pode fazer uma manutenção cuidadosa do Salão Nobre;  realizamos a sempre adiada grande manutenção no elevador de serviço; aproveitamos o fechamento do restaurante “Navegador” e recuperamos a cozinha e os espaços do 6º andar, transferindo a nossa Praça D'Armas para lá; estamos ultimando a criação de um novo salão: o Salão Azul, localizado no espaço da nossa antiga Praça D'Armas. O “Charitas”, contando com apoio financeiro das outras Sedes, trocou o guarda corpo em torno de todo o prédio principal; instalou várias câmeras de segurança na área do Clube; reconfigurou a sua rede de internet, aumentando o apoio às áreas das quadras e dos piers; iniciou a realocação das oficinas de manutenção, fase inicial da construção de uma moderna área de reparo naval que atenda às imposições ambientais; construiu um novo galpão para guarda de embarcações; adquiriu uma nova embarcação de apoio a regatas em fibra de vidro; revalidou os testes de carga de todos os seus guindastes;  iniciou a construção dos novos vestiários dos funcionários e, note-se , que tudo isso foi feito com redução de pessoal. O nosso “Piraquê” (o “clube” mais charmoso da Lagoa, no dizer do seu Comodoro) fez reformas na boate Chalana e sua cozinha, no salão Capitânia, na sala de cinema, no parquinho infantil e na sauna; preparou uma nova enfermaria; trocou o mobiliário das piscinas; reformou totalmente a churrasqueira e fez a manutenção em todas as quadras de tênis de saibro; refez o gramado sintético do campo de futebol.
 
  Um dos nossos principais objetivos era modernizar a gestão do Clube Naval, sem perder as suas características e, principalmente, respeitando as suas tradições. Com o apoio de toda a Diretoria iniciamos uma série de providências, logo ao início do nosso mandato, que visavam padronizar procedimentos nas três Sedes, notadamente na área de recursos humanos. Também buscamos implantar em todas as Sedes procedimentos e padrões administrativos comuns, apoiados pelo nosso bem montado e bem administrado parque de computadores (cerca de 350 máquinas). Essas iniciativas permitiram que a administração central tivesse uma melhor visão de tudo que ocorria nas diferentes Sedes, respeitando a autonomia administrativa e financeira dos órgãos, mas sem confundir esta autonomia com total independência. A frase “o Clube tem três Sedes, mas é um só” norteou nossa posição. Também procuramos adequar a nossa força de trabalho às nossas reais necessidades, qualificando ou dispensando funcionários.  Por outro lado, com a finalidade de aumentar nossos ganhos em aplicações financeiras, reunimos os recursos aplicados e os colocamos sob a gerência do Diretor Financeiro. E ainda, contando com competente assessoria dos funcionários da Carteira Hipotecária e Imobiliária conseguimos equacionar, em definitivo, nossas preocupantes pendências com a Caixa Econômica Federal e hoje temos muito mais a receber do que a pagar, além de um sólido fundo de reserva. Essas melhorias na área de gestão já estão trazendo benefícios, fazendo com que setores que antes eram deficitários vencessem suas dificuldades e passassem a superavitários.
 
  Todos esses objetivos alcançados nas três Sedes, somente se tornaram realidades por três motivos. Primeiramente, graças ao trabalho bem feito por antigas Administrações que nos legaram uma situação financeira extremamente cômoda. Também contamos com o apoio incondicional e com as valiosas orientações e recomendações do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal. O terceiro fator positivo foi, sem dúvida, a dedicação dos membros da atual Diretoria, meus valorosos companheiros nessa profícua travessia. Tudo isso tornou possível a realização das metas que busquei desde o início: respeito às nossas tradições e modernização da nossa gestão. Aproveito esta oportunidade para, formalmente, apresentar meu emocionado agradecimento a todos os membros da atual Diretoria, alguns antigos companheiros, outros novos companheiros e companheiras. A todos tenho a pretensão de poder chamá-los de caros “amigos e amigas”
  
   Ainda, agradeço o apoio que recebi do quadro Social, notadamente a paciência com que foram enfrentadas as restrições causadas pela pandemia e o desconforto trazido pelas muitas obras e atividades indispensáveis de manutenção, além do suporte a algumas decisões indispensáveis, por vezes antipáticas que tive que tomar.
 
A todos, MUITO OBRIGADO !!!
 
  Por fim, tenho certeza de que a nova Administração, que toma posse no próximo dia 11 de junho, tem competência para continuar o trabalho, realizando tarefas ainda mais importantes para o Clube, corrigindo os erros por mim cometidos, enfim mantendo o Clube Naval na sua trajetória de sucesso. Ao nosso novo Presidente, meu amigo de longa data Almirante de Esquadra Luiz Fernando Palmer Fonseca, meus votos de muitas felicidades no novo cargo, que encontre sempre bons mares e bons ventos pela proa.
 
Eduardo Monteiro Lopes
Almirante de Esquadra (Ref)
Presidente