GIAMD - Grupo de Interesse em Assuntos Marítimos e Defesa

 

- Propósito: Funcionar como um fórum livre de estudos, pesquisas e debates sobre assuntos marítimos e defesa, a fim de contribuir com o aperfeiçoamento dos mecanismos institucionais, estratégicos e gerenciais concernentes ao uso das Águas Jurisdicionais Brasileiras (AJB) e à Defesa Nacional. 

- Público-Alvo: Brasileiros interessados em desenvolver temas relacionados aos mares e águas interiores, ou defesa e segurança, desde que alinhados com o propósito do Grupo.
 
- Adesões: Encaminhar mensagem para grupogiamd@gmail.com, informando as áreas temáticas e os subgrupos que deseja fazer parte (abaixo descritos) bem como a formação acadêmica ou experiência relacionada ao subgrupo escolhido.
 
- Página do GIAMD: Acessar www.clubenaval.org.br. No opção "Sede Social", selecionar "Departamento Cultural". Aparecerá o menu "Grupos de Interesse", onde se encontra o GIAMD
 
Como participar: Encaminhe sugestões de atividades para o e-mail acima, bem como de eventos, palestrantes, bibliografia, filmes ou eventos externos.

- Áreas Temáticas (AT) e Subgrupos (SG)

AT: ASSUNTOS MARÍTIMOS 
SG: Ciência, Tecnologia e Inovação em Ambientes Marinhos - Ciência dos Oceanos - Recursos vivos - Recursos não vivos - Marinha Mercante, Indústria Naval e Infraestrutura Portuária - Direito Marítimo.

AT: DEFESA
SG: Ciência, Tecnologia e Inovação em Defesa - Estrutura, Gestão e Legislação de Defesa - Geopolítica e Segurança Internacional - Forças Armadas, Estado e Sociedade - Poder Naval

PRÓXIMOS EVENTOS

Prezados Sócios, em virtude das ações adotadas em relação ao Coronavírus as atividades do grupo estão temporariamente suspensas. Retorno das ativitades a confirmar.

Informações: grupogiamd@gmail.com

EVENTOS REALIZADOS
 
 

Palestra realizada em 11 de abril de 2019 na Sede Social do Clube Naval, com a presença de 45 pessoas, sendo palestrante o Almirante de Esquadra (Ref) Marcos Augusto Leal de Azevedo, Coordenador Executivo do CEMBRA. Na ocasião, o Almirante Leal de Azevedo apresentou a importância econômica e estratégica das águas jurisdicionais e da plataforma continental brasileira (denominada “Amazônia Azul”) para o País, bem como o trabalho que o CEMBRA vem desenvolvendo para manter atualizadas as informações relevantes sobre essa área, consubstanciadas no documento intitulado “O Brasil e o Mar no Século XXI – Relatório aos Tomadores de Decisão do País”, cuja última edição data de 2012. Além desse relatório, o CEMBRA também distribui o “Informativo CEMBRA”, editado semestralmente. Informações sobre o CEMBRA, acesse www.cembra.org.br. Assista abaixo o vídeo com alguns trechos da palestra.

 

 

25 de novembro de 2019 - Palestra: A Gestão Estratégica da Defesa em Tempos de Paz: Soluções de Compromisso entre Alternativas de Capacidades Militares Impostas pelo Orçamento”

A mais importante atividade da defesa em tempos de paz é o desenvolvimento e sustentação da capacidade militar. Essa atividade é o resultado da gestão estratégica da defesa (GED), que, na maioria dos países, envolve a ativa participação dos altos escalões dos poderes Executivo e Legislativo, além das Forças Armadas e outras instituições responsáveis pela logística de defesa, principalmente manufatura, pesquisa e desenvolvimento e inovação.

A GED é uma atividade de enorme complexidade, que envolve investimentos elevadíssimos e extenso período de concepção e maturação, podendo chegar a várias décadas. Dessa forma, exige um planejamento de longo prazo que deve ser seguido com determinação e persistência por vários governos, em regimes democráticos. Sem um consenso sobre um arcabouço conceitual e teórico capaz de orientar e encadear as ações necessárias, é praticamente impossível ter sucesso nessa empreitada. A experiência de outros países também é importante para indicar pontos que devam merecer uma maior atenção.

A fim de contribuir com a divulgação e o aprofundamento desse conceito, o GIAMD promoveu, no dia 25 de novembro de 2019, na Sede Social do Clube Naval, uma palestra sob o título “A Gestão Estratégica de Defesa em Tempos de Paz: Soluções de Compromisso entre Alternativas de Capacidades Militares Impostas pelo Orçamento”, a qual teve, como palestrante, o CMG (RM1-EN) Eduardo Siqueira Brick, Professor Doutor aposentado da Universidade Federal Fluminense e membro do Corpo Permanente da ESG.

 “Países gigantes como o Brasil não têm como opção abdicar de criar e sustentar poder efetivo e capacidade de defesa”. Sob essa afirmação e fundamento, o palestrante deu início à apresentação, a qual foi organizada nos seguintes tópicos:

  1. O Preparo da Defesa em Tempo de Paz – 2. O Contexto Brasileiro – 3. A Base Conceitual – 4. O Planejamento da Defesa – 5. Entraves Institucionais.

Foram abordados, entre outros aspectos, um arcabouço conceitual, os processos envolvidos no planejamento, e os aspectos práticos que devem servir como orientação.

Foi evidenciado o fato de que vivemos em uma era pós-industrial, e que determinadas condições são necessárias para se ter poder efetivo e capacidade de defesa, como indústrias de alta e média-alta tecnologia, onde os gráficos apresentados demonstraram não ser favorável a situação brasileira. A conclusão do palestrante, considerando a situação atual, é de que o Brasil não está conseguindo desenvolver e sustentar a capacidade de militar essencial para a defesa do País.

Foi ressaltada a diferença entre os conceitos de Base Industrial de Defesa (BID) e Base Logística de Defesa (BLD), onde o segundo é superveniente ao primeiro, posto que na BLD se insere a gestão dos processos logísticos que devem orientar a BID. Da mesma forma, a palestra explicou o conceito “Capacidade Militar”, que vem a ser o somatório de “Capacidade Operacional de Combate” com “Capacidade Logística de Defesa”.

Outra consideração importante feita pelo palestrante é que, apesar de o investimento em P&D e no desenvolvimento da indústria de Defesa serem positivos para o desenvolvimento nacional, a indústria de defesa, assim como as Forças Armadas, não existem por motivações econômicas, e sim estratégicas.

A mensagem final foi a de que a organização brasileira da logística de defesa está dispersa e pouco eficaz, se comparada com aquelas praticadas em países da OCDE e da OTAN, exigindo sua reestruturação urgente.

Seguindo-se à palestra, foi realizado um período de perguntas e respostas.

Informações detalhadas sobre o tema “Gestão Estratégica da Defesa” poderão ser obtidas no site http://www.defesa.uff.br/

 

 

Coordenador do GIAMD:
 Capitão de Mar e Guerra (Ref.) Francisco Eduardo Neves Novellino