251º Aniversário do Corpo de Intendentes da Marinha

   ​A Intendência da Marinha do Brasil foi forjada ao longo de um extenso processo de evolução histórica, iniciado em 3 de março de 1770, quando o rei de Portugal, D. José I, e o primeiro-ministro, Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal, assinaram o alvará criando o cargo de Intendente da Marinha e Armazéns Reais para atuar, a princípio, no Arsenal de Marinha da Bahia. Suas principais tarefas eram vistoriar os navios da Marinha Real para avaliar se estavam devidamente abastecidos; tomar dos capitães o termo de fiança; realizar vistorias em obras reais pertinentes à Marinha; e compor, como ministro, a Junta de Administração da Fazenda na capitania.Alguns anos mais tarde, em 1797, foi criado o posto de comissário, o qual atuava nos processos de arrecadação e despesa relacionados ao aprovisionamento de gêneros e mantimentos dos navios de guerra. Nesse mesmo ano, o cargo de Intendente da Marinha e Armazéns Reais foi estendido para outras capitanias.

   Inspirados pelo legado e exemplo dos Intendentes do passado, cultuamos e praticamos sólidos valores éticos e morais, associados às virtudes de pureza e honestidade representadas pela Folha de Acanto, símbolo da Intendência. Prestamos especial reverência ao nosso patrono, Almirante Gastão-Motta, que, em 1952, empreendeu importantes reformas em nosso Serviço de Intendência, sedimentando as bases para a estrutura atual. Ao longo de sua história, a Intendência, sempre alinhada às demandas da Marinha e acompanhando a evolução das ciências do campo da administração, teve a sua atuação ampliada, passando a atuar dedicada ao abastecimento, administração, contabilidade, controle interno, economia, finanças e gestão do patrimônio imobiliário. As chamadas “lides da Intendência” permeiam todas essas áreas, fazendo-se presentes a bordo dos navios e nas diversas Organizações Militares da Marinha do Brasil (MB). A Intendência prossegue contribuindo para o aperfeiçoamento da gestão administrativa da MB, cabendo destacar algumas realizações recentes: a conclusão do Projeto de Modernização do Depósito de Fardamento; a criação do ambiente de informações gerenciais do Programa Netuno; a disponibilização do novo Sistema de Cadastro Imobiliário da Marinha; o incremento dos trabalhos de auditoria contínua, com base em análise de dados; a modernização do Sistema de Acompanhamento do Plano Diretor; a conclusão da matriz de centro de custos do Sistema de Custos da Marinha e a Nova Sistemática de Pagamentos Imediatos. No ano em que a pandemia do Covid-19 impôs ao mundo enormes desafios, a Intendência da Marinha também foi, mais uma vez, posta à prova. Mesmo com todo um cenário adverso na economia global, a “nossa” Intendência cumpriu com o seu papel, tendo participado ativamente do esforço logístico realizado pela MB, em benefício da Família Naval, por meio da Operação Grande Muralha. Nas palavras da Canção da Intendência da Marinha, “...na Intendência nós podemos confiar, que o apoio sempre a tempo irá prestar!”. O futuro das atividades relacionadas com o Corpo de Intendentes da Marinha não é incerto. Está diretamente relacionado com o Planejamento Estratégico da Marinha para o período 2020 a 2040 (PEM-2040). Nesse importante documento consta o Objetivo Naval no 12, qual seja, “aperfeiçoar a gestão orçamentária, financeira e administrativa da Marinha”. Assim, a capacitação e o aperfeiçoamento das competências técnicas dos profissionais de Intendência continuarão a ser alvo de atenção especial do Comando da Marinha. Para tanto, foram elevados os patamares dos recursos orçamentários em 2021, destinados à capacitação da MB, aí inseridas as necessidades do pessoal do Corpo de Intendentes.

  “Nesse momento de júbilo, apresento os meus agradecimentos aos ex-ministros da Marinha, ex-Comandantes da Marinha, ex-Secretários-Gerais da Marinha e demais Chefes Navais pelo apoio e confiança, essenciais às realizações e conquistas da Intendência, ao longo de sua história. Expresso meu agradecimento e reconhecimento à atuação de homens e mulheres, militares e servidores civis, dos distintos Corpos e Quadros da Marinha, que, no exercício diuturno das tarefas típicas da Intendência, contribuem para uma gestão responsável dos recursos alocados à Força. Àqueles que já ostentam o título de Intendente Honorário, registro o reconhecimento e gratidão pelas relevantes contribuições à Intendência da Marinha. Aos que, a partir de hoje, passarão a integrar esse seleto grupo, apresento as minhas boas-vindas, ao mesmo tempo em que expresso o reconhecimento e respeito do Corpo de Intendentes para com as senhoras e senhores” afirma, Wagner Corrêa dos Santos, Vice-Almirante (IM), Diretor de Abastecimento da Marinha. Orgulhosos de nosso passado vitorioso e, inspirados pelo rico legado deixado pelos Intendentes de outrora, voltamos nossos olhares para o futuro. Cônscios dos desafios que estão por vir, associados à crescente complexidade tecnológica dos meios e da evolução que se apresenta em compasso cada vez mais veloz, nós, Intendentes da Marinha, assumimos o compromisso de mantermos a capacitação e a busca pela excelência na gestão como norteadores do desenvolvimento do aparato técnico do nosso Corpo.

   Intendentes da Marinha, tenhamos orgulho de ostentar a Folha de Acanto. Honremos a nossa vocação expressa na Canção da Intendência, segundo a qual “A Intendência nunca há de esmorecer!”. Estejamos “Sempre Presentes!” para que, com motivação e comprometimento, possamos transformar os obstáculos e desafios no combustível motivador para o cumprimento do nosso lema: “Prestar o melhor serviço à Marinha”. “Honra é a força que nos impele a prestigiar nossa personalidade. É o sentimento avançado do nosso patrimônio moral, um misto de brio e de valor. Ela exige a posse da perfeita compreensão do que é justo, nobre e respeitável, para elevação da nossa dignidade; a bravura para desafrontar perigos de toda ordem, na defesa da verdade, do direito e da justiça”,

Joaquim Marques Lisboa,
Marquês de Tamandaré, Patrono da Marinha.