11 de junho - Sessão Magna

Rio de Janeiro, 11 de junho de 2018.

11 de Junho - Sessão Magna

Com muita emoção, acabamos de assistir a patriótica narrativa do Sr. Capitão-de-Mar-e-Guerra Aldo Raposo Neves - Chefe do Gabinete do Presidente do Clube Naval - e acolhemos, agradecidos e com muito orgulho, as palavras do Exmo. Sr. Comandante da Marinha Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar  Leal Ferreira.
     
Desde quando aceitei a minha candidatura para o honroso cargo de presidente do Clube Naval, tenho ressaltado, em várias oportunidades, uma singular característica deste Clube que o distingue de outras associações  Ou seja, todas as suas atividades - nos segmentos social, esportivo, recreativo ou histórico-cultural - são permeadas pelos imorredouros valores morais e históricos da nacionalidade e da carreira naval que nos foram transmitidos em nossas escolas de formação por aqueles que nos precederam.
 
O Clube Naval, ainda que seja uma sociedade civil de direito privado, integra, em seu quadro de sócios efetivos, oficiais da ativa, da reserva e reformados da Marinha do Brasil e seus familiares. Daí a nossa crença de sermos uma parte indissolúvel da Marinha, e dessa forma, depositários de seus mesmos valores.
 
Por outro lado, lamentavelmente, assistimos nos dias de hoje grupos sociais minoritários, porém organizados e estridentes, tentando inocular no seio do nosso povo a descrença nos parâmetros tradicionais de referência com o passado, não faltando, por vezes, um calunioso e intempestivo revanchismo contra as Instituições Militares, sabe-se lá com que apequenados desideratos ideológicos.
 
Neste clima de incerteza de valores, creio oportuno ressaltar um alerta do Comandante da nossa Marinha posto em sua Ordem do Dia alusiva à Data, da qual peço vênia a S. Excelência para aqui reproduzir um de seus parágrafos. Disse o Comandante da Marinha, in verbis: “Nesses tempos incertos e nebulosos, a Pátria navega em mar encapelado, hesitando na busca de um rumo que nos traga maior estabilidade interna e um mínimo de coesão em torno dos grandes objetivos de desenvolvimento econômico e social”.
 
Tenha certeza S. Excelência que na busca de um rumo seguro para os destinos da Pátria o Clube Naval, inspirado nos exemplos de Riachuelo, estará em permanente sintonia com os elevados propósitos da Marinha do Brasil e contribuindo para obtenção daquele mínimo de coesão apontado na Ordem do Dia de hoje. 
 
É por inabalável confiança nos mais nobres destinos da Nação e fé nos tradicionais valores morais da nossa carreira, que o Clube Naval - que hoje também comemora seus 134 anos de existência, anualmente se engalana nesta data, para preservar uma tradicional rotina cívica em preito de respeito e reverência aos bravos marinheiros que no 11 de Junho de 1865 heroicamente lutaram e tombaram em defesa da Pátria. Um basilar paradigma dos Nossos Valores.
 
Honra e glória eternas aos heróis do Riachuelo!
Muito obrigado.
 

Rui da Fonseca Elia
Vice-Almirante (Ref) – Presidente do Clube Naval.